A minha relação com a música

11/05/07


Como já todos devem ter reparado, eu tenho uma relação muito particular com a música. E hoje quero explicar um pouco dessa relação e como tudo começou.

É verdade, eu e a música mantemos uma relação afectiva há quase 21 anos. Desde que comprei, aliás, chulei o meu pai para me comprar uma K7 dos Europe, os artistas da Final Countdown.

Tinha eu apenas 5 anos e já desbundava ao som das guitarras. Posso dizer que essa foi a música que mudou a minha vida e me tornou neste "músicomaníaco".

Sou sincero. Não consigo viver sem ela. Houve uma altura na minha adolescência, que um dos meus melhores amigos me disse que a música era a minha verdadeira paixão, o meu amor para toda a vida. Na altura já nem sei se me ri ou se chorei, mas que ele tinha razão tinha.

A música durante grande parte da minha vida, transformou-se no meu refúgio para as angústias, os desgotos de amor, para as noites sem dormir... Hoje em dia é a minha maior virtude.

Ao longo do tempo, fui crescendo musicalmente. Se na fase dos 5 aos 10 ouvia qualquer coisa que tivesse um ritmo engraçado e refrões orelhudos cheios de rimas, hoje em dia não é assim, sou mais selectivo. Não dispenso uma boa letra, uma boa melodia, mas acima de tudo, não dispenso as sensações que uma música deve despertar em nós. Quer seja rock, hip-hop, pop ou electro... ou outro género qualquer.

Quem nunca cantou a plenos pulmões uma música no carro, no chuveiro, em casa ou num concerto? A mim isso acontece quase diariamente... já é quase rotina diária.

Para finalizar, e porque daqui a nada tenho aulas, deixo-vos ficar com a música que me fez escrever este post. Simplesmente divinal... Só mesmo ao nível dos Arcade Fire.


14 comentários:

Lua disse...

Já somos 2! A música faz parte de mim. Não vivo sem ela. Em casa a 1ª coisa que faço qd acordo é ligar a aperelhagem para enquanto tomo banho e me arranjo estar a ouvir música. No trânsito é a melhor companhia:))

Eu delirava com os Europe, que grande banda!!:)

A música acompanha-me sempre nos momentos bons e menos bons!

beijocas grandes

Jaleco disse...

Já somos 3...é das 1as musicas q ouvi em miudo!!! Como tinha duas primas adolescentes, os Europe, Bon Jovi, Madonna, Samantha Fox!!!, The Cure, etc...fizeram parte da minha infância!!! 'The Final Countdown' ainda tem o mesmo power q há 20 anos. Há uns anos comprei o 'Best Of' dos Europe...quem quiser ouvi-lo é só dizer ;)!!

Trópico disse...

Se não fosses maniaco-dependentes não andávamos nestas andanças...enfim
Até me assustei..estava a ver que ias pôr na telefonia os Europe...:)

PS: depois meto lá no Lado B a música que mudou a minha vida..:) ou pelo menos a forma de olhar para ela...:)

Trópico disse...

Erro....dever-se-á ler no post anterior
"Se não fossemos"...:9 corrigido

Miss Alcor disse...

Bem, já somos uma mão cheia deles então! A mim a música associa-se a momentos, de maneira que quando a ouço, lembro-me do que fiz num dia particular! São muitas músicas e muitos momentos... não necessariamente especiais!
É mesmo como tu dizes: sem estilo particular: apenas música que faça vibrar aquela cordinha que temos cá dentro e que faz com que cantemos a plenos pulmões!
Bem lembrado este post!

Bia disse...

Bem, junta-se mais uma ao grupo dos fanáticos!!! Não vivo sem música, é simplesmente parte de mim!!!

Paulo disse...

Os EUROPE! Do que tu te foste lembrar! Estava eu no 5º ano, tinha acabado de sair da 4ª classe quando estoirou esse tema.
Belos tempos...
E bela relãção que tu tens com a música ;)

Tiago disse...

Essa talvez seja a minha música favorita de Neon Bible, divinal.
Eu também tenho uma grande paixão por música, não me imagino a viver sem ela. Acho que não conseguía.

PS.: Daqui é o Riot_Act, do fórum da blitz, não pude deixar de demonstrar a minha admiração que ao ver o teu profile, reparei que és de Penafiel, pois é de onde eu sou. :)

Um abraço.

Corduroy disse...

Obrigado a todos pelo vosso testemunho!!! A música é uma das minhas razões de viver...

Teixeira disse...

Excelente texto VK.

Também sinto isso em relação música.

E quanto a cantorias já dizia o outro-"quem canta os seus males espanta!"

Abraço
[[]]

Canochinha disse...

Que bonito post, Corduroy.
Posso dizer-te que adoro música e não consigo viver sem ela, apesar de me parecer que sou um pouco mais preguiçosa que tu no que toca a descobrir novas coisas:)
Também te posso dizer que há músicas que me preenchem a alma, que me fazem fechar os olhos e ficar ali a ouvi-las como se o tempo parasse de repente. Hoje não gosto de ouvir as mesmas coisas que gostava de ouvir há 10 anos atrás, e acho que este facto faz parte do crescimento musical de todos nós. A verdade é que há 10 anos atrás não era madura o suficiente para apreciar devidamente a música que adoro hoje em dia. Acho portanto que não devemos criticar o pessoal que gosta das bandas sonoras dos Morangos com Açúcar... Provavelmente se fôssemos da idade deles gostaríamos também. Concerteza quando crescerem vão refinar o gosto musical.
Também já deixei de me irritar quando alguém não gosta de uma música que eu amo... Afinal, o que seria de nós se os gostos fossem todos iguais?

Beijos***

Corduroy disse...

Ora nem mais Canochas. Pela tua maneira de falar deves ser fã de Pearl Jam :))))).

Bjo.

Corduroy disse...

É bom saber que a música acima de tudo é um factor de união...

Teixas: se assim é, eu espanto muita gente!!!

Canochinha disse...

Sim, os Pearl Jam estão lá no topo... Mas nem só!

Beijos