Como pode ser possível

05/11/07

A minha alma fica parva ao ver notícias destas. Isto é anti-humano e inconcebível... num país que se considera democrático. Daqui a pouco só quando se estiver num caixão é que se considera que uma pessoa está incapacitada de realizar o seu trabalho. Que país este... Miséria!!!

4 comentários:

Paulo disse...

Como parodiavam os Gatos Fedorentos:
Não tem braços? Então trabalhe com a língua!
É do catano este país de merda! Fogo!

Tiago disse...

Só mesmo em Portugal. -_-

Canochinha disse...

Parece que o Ministro das Finanças anunciou que o processo vai ser reapreciado pela Caixa Geral de Aposentações, e que deverá ser dada nova baixa à senhora.
O que revolta é que é preciso estes casos virem para a comunicação social para que se tomem atitudes dignas em relação a este tipo de situações. E espero também que seja aberto um inquérito à junta médica que permitiu isto.

K@Z disse...

Casos destes sempre existiram e sempre existirão (infelizmente), o que me põe a pensar profundamente, não são as questões políticas que definem as regras de aposentações, mas sim a capacidade, o profissionalismo e a integridade dos "cromos" vulgos senhores doutores que rotulam algumas pessoas como capazes ou incapazes de trabalhar. Não esquecer que os médicos ganham 50 vezes mais que a dita senhora!!!
Quanto ao caso e visto que foi necessária a intervenção do Ministro das Finanças, tem que se compreender que há mais casos como este sem visibilidade, mas o homem também não pode andar de junta médica em junta médica e fiscalizar a incompetência e ignorância dos profissionais mais bem pagos do nosso país...